Your browser version is outdated. We recommend that you update your browser to the latest version.

 

 

Reportagens

“Storie Alfa Romeo”, primeiro episódio: a bordo do 24 HP, das origens às primeiras vitórias internacionais (1906-1925)

 

Episódio 1Episódio 1

  (clique na imagem para ver mais)

Histórias e personagens do início do século XX centradas em torno do primeiro modelo: um elegante torpedo para andar a 100 à hora (clique na imagem para ver tudo)

 


 “Storie Alfa Romeo”, segundo episódio: protagonista da sua época, o icónico 6C 1750 antecipa o futuro

 


(clique na imagem para ver mais)

O 6C 1750 dos anos Trinta era a expressão máxima de uma das características que continuam a distinguir todas as criações Alfa Romeo: a inimitável capacidade de dominar nas competições desportivas e nos concursos de beleza.


Precursor de uma nova geração de modelos Alfa Romeo, inaugurou uma tradição técnica e concetual que ainda hoje se mantém viva, a excecional relação peso/potência e o equilíbrio perfeito.

 


 “Storie Alfa Romeo”, terceiro episódio: o 6C 2500 Villa d’Este é a mais elegante síntese de um modo de conceber o automóvel

Episódio 3Episódio 3

(clique na imagem para ver mais)

Nos anos a seguir à Segunda Guerra Mundial, assistimos à passagem do apogeu do trabalho artesanal para uma organização de produção mais moderna, com os Alfa Romeo a manterem-se como ponto de referência.


O 6C Villa d’Este faz escola em termos de elegância, novidades técnicas, performances, prestígio.


À volta do modelo, entrecruzam-se histórias de personagens célebres, autênticos ícones intemporais: de Tyrone Power a Evita Peron, de Rita Hayworth a Ranieri III do Mónaco e a Valentino Mazzola, jovem de 20 anos que trabalhava em Portello na altura em que foi produzido, em 1939, o primeiro automóvel da nova série.

 


 “Storie Alfa Romeo”, quarto episódio: a Alfa Romeo é a primeira marca a ganhar a Fórmula 1

Episódio 4Episódio 4

 (clique na imagem para ver mais)

A ligação entre a Alfa Romeo e a Fórmula 1 escreveu a história do automobilismo desportivo: de facto, foi a marca da Serpente que venceu o primeiro Gran Premio e a edição inaugural da expressão máxima da competição automóvel, em 1950, com Nino Farina ao volante de um Alfa Romeo Gran Premio Tipo 158 “Alfetta”, tendo o feito sido repetido em 1951 por Juan Manuel Fangio com o Alfetta 159

  


“Storie Alfa Romeo”, quinto episódio. “Gazzelle” e “Pantere” nas estradas de Itália: as berlinas desportivas Alfa Romeo ao serviço da lei

Episódio 5Episódio 5

  (clique na imagem para ver mais)

Quinto episódio das “Storie Alfa Romeo” fala sobre a Itália do pós-guerra, desde a reconstrução até ao boom económico.


São os anos da consolidação da lenda Alfa Romeo: os mais velozes em pista e em estrada tornam-se um status symbol, além de veículos perfeitos para servir o Estado com as cores da Polícia e as dos Carabinieri.

Desde o 1900 de 1950 até ao Giulia dos nossos dias, as Forças de Segurança recrutaram os mais significativos modelos da marca da Serpente.

Nesses anos, a Alfa Romeo evolui e moderniza-se, segue o caminho da produção em série, mantendo inalterados o fascínio e o calor da qualidade artesanal.

Sucesso segue a par e passo com a evolução e as vendas crescem: o Giulietta – além de 177.000 unidades vendidas em 1954 – é “a namorada de Itália” e o seu herdeiro, o Giulia, de que são vendidas 570.000 unidades, torna-se um ícone tricolor.

 


 “Storie Alfa Romeo”, sexto episódio: Duetto, o spider italiano conquista Hollywood

Episódio 6Episódio 6

 

O Giulietta Spider chega ao cinema italiano no princípio dos anos Sessenta, dirigido por Fellini e por Antonioni: são os ensaios gerais antes de o “Made in Italy” conquistar Hollywood e os EUA.

O seu herdeiro é um automóvel capaz de juntar lendas como Steve McQueen, Dustin Hoffman e Muhammad Ali: estamos a falar do Alfa Romeo Duetto.

Fazendo jus à história da Marca, não se limita a ser um cobiçado protagonista da moda, é uma viatura elegante e capaz de oferecer performances entusiasmantes e requintado prazer de condução.

As suas qualidades revelar-se-ão através de quatro gerações e mais de 124.000 unidades produzidas em 28 anos: a vida mais longa de sempre para um modelo Alfa Romeo.

 


 “Storie Alfa Romeo”, sétimo episódio. A revolução nas formas e nas cores: 33 Stradale, Carabo e Montreal
 

Talento e rigor, perícia e coragem na escolha dos materiais, um estilo que alia inovação tecnológica a criatividade: são os ingredientes concetuais do Tipo 33.

Projeto nasceu do espírito competitivo que anima todas as criações da Alfa Romeo e que deu vida a muitas vitórias em competição e a dois “gémeos diferentes”: o 33 Stradale e o Carabo.

Desenhado por Franco Scaglione, o 33 Stradale sintetiza toda a sua perícia técnica e audácia criativa: uma obra-prima em que a inovação estilística se funde com o estudo da aerodinâmica e da funcionalidade.

Marcello Gandini, por sua vez, desenha para a Bertone o Carabo, modelo que surge como o automóvel do futuro pelas suas linhas vanguardistas e pela atenção dedicada às cores e à pintura: uma pesquisa cromática que prosseguirá com o Montreal.

Este ano é o 50º aniversário de Montreal. Apresentado em 1967 num verde disruptivo, representava a "maior ambição do homem em termos de automóveis”.

 


  “Storie Alfa Romeo”, oitavo episódio. Design, temperamento desportivo e inovação: o Alfa Romeo 156 foi um extraordinário sucesso

 
Um milhão de pessoas nos concessionários na altura do lançamento e cerca de 680.000 vendas na globalidade: estatísticas que estabeleceram o 156 como um dos maiores sucessos de sempre da Alfa Romeo.

Apresentado em 1997, rapidamente conquistou clientes e críticos e, em 1998, o importantíssimo prémio “Car of the Year”.

156 era um extraordinário mix de força, inovação e classicismo, já que revivia também a pesquisa cromática, aspeto distintivo dos modelos Carabo e Montreal.

Era também audacioso sob o ponto de vista técnico, apresentando inovações que o transformaram num novo género de automóvel desportivo, combinando potência, peso reduzido e controlo: as eternas características do ADN Alfa Romeo.

Belo, empolgante e um vencedor nato: em 10 anos de campeonatos de Gran Turismo, conquistou 13 títulos.


 “Storie Alfa Romeo”, nono episódio – 8C Competizione: um supercarro que homenageia a tradição e que tem os olhos postos no futuro

Episódio 9Episódio 9

 

Para a Alfa Romeo, o 8C é um regresso às origens e um laboratório para o futuro, definindo identidade, valores, e referências estilísticas e técnicas: relação peso/potência excelente, equilíbrio perfeito, precisão de condução.

O mundo automóvel, prestes a entrar no novo milénio, fica estático a admirar a nova criação Alfa Romeo. “Chama-se 8C e creio que é simplesmente o mais belo automóvel alguma vez construído”: é a eloquente opinião de Jeremy Clarkson transmitida na BBC.

Em suma, sintetiza a essência da Alfa Romeo a partir do nome, que evoca os “oito cilindros” dos anos trinta e as versões “Competizione” dos anos cinquenta que triunfavam em Le Mans e nas Mille Miglia.

A história da Marca torna-se também inspiração estilística: o 8C celebra a generosidade dos volumes, a pureza das linhas e os traços distintivos da Alfa Romeo, enriquecendo-se com elementos fascinantes.
Converte-se, depois, uma referência natural também para todos os modelos futuros, mesmo para os de produção em série, como o MiTo e o Giulietta, e tem um parentesco muito próximo com o 4C, um supercarro compacto, tecnológico e sensual.

Em síntese, um sucesso e uma pedra basilar: em poucas semanas, o 8C contabiliza 1400 encomendas provenientes de todo o mundo e as 500 unidades numeradas previstas já estão vendidas ainda antes de serem produzidas.


 "Storie Alfa Romeo", décimo episódio – Giulia e Stelvio, expressão de 110 anos de excelência italiana
 

 

A série "Storie Alfa Romeo" chega ao fim na semana do 110.º aniversário da Marca, dando destaque aos modelos que atualmente personificam 110 anos de excelência estilística e tecnológica “Made in Italy”.

O Giulia e o Stelvio são a expressão suprema do projeto "La meccanica delle emozioni", que sempre colocou o condutor no centro de uma entusiasmante experiência de condução.

Uma abordagem top-down permitiu que as gamas do Giulia e do Stelvio fossem desenvolvidas a partir das extraordinárias versões Quadrifoglio.

As notáveis performances são parte intrínseca do ADN de ambos os modelos, em que as versões Quadrifoglio estabeleceram recordes nas respetivas categorias no circuito de Nürburgring.

Assim que foi lançado, o primeiro SUV Alfa Romeo passou a ser, inevitavelmente, o SUV mais rápido de sempre.

Recordes em pista são apenas uma parte daquilo que alcançaram: o Giulia e o Stelvio são os modelos da Alfa Romeo mais premiados de sempre.

Vídeo do Museu de Arese

 
 

ALFA Vintage - 2015

 

    No dia 30 de Maio realizou-se mais um evento Alfanord, denominado Alfa-Vintage.


    Acompanhados sempre por um belo dia de sol e uma leve brisa refrescante, algumas dezenas de Alfa-Romeo deram início à prova de regularidade, com partida da marina do Freixo e chegada ao imponente castelo de Sª Mª da Feira. A partida do primeiro carro foi dada às 10.30h em ponto, sendo a fase inicial do percurso feita pela bela marginal, encostada ao rio Douro, seguida da travessia da barragem de Crestuma, passagem por Canedo, Pigeiros, Escapães e finalmente Sª Mª da Feira.

 

    Após uma sequência fotográfica de todos os concorrentes, com o castelo de pano de fundo, os carros desceram ao centro histórico da cidade, onde ficaram expostos ao público até às 17h, sempre debaixo de olho de um agente da PSP, não vá o diabo tecê-las.

    Entretanto, os sócios deliciaram as suas barriguinhas na agradável esplanada do restaurante Taberna do Xisto, onde o bom convívio foi a nota dominante. Após entrega dos trofeus relativos à Prova de regularidade e à eleição da “La Piu Bella Macchina”, chegou a altura de dizer adeus a esta bela cidade medieval e levar “os meninos” para casa.

 

J. C. Lourenço

 

 


  

 

DIA ALFANORD - 10º Aniversário

       25 de abril, dia de grande simbolismo nacional, foi o dia escolhido para mais um evento do clube: o Dia Alfanord.

      O dia amanheceu um pouco tristonho, o que não impediu que cerca de 27 Alfas de todas as idades e modelos se lançassem em busca da pousada do Marão, lugar de encontro e de partida conjunta para o itinerário delineado pelo clube.

      Após alguns cumprimentos, abraços e um café nesta bela pousada, a caravana, orientada pelo amabilíssimo Eng.º Francisco Santos, dirigiu-se à quinta do Licor, em Santa Marta de Penaguião. Aqui fomos recebidos gentilmente pelo seu proprietário, Eng.º Vaz de Carvalho, que após uma explicação detalhada da produção vinícola, nos brindou com uma deliciosa degustação de vinhos e queijos, entre outras coisas.

      Com o sol a expressar um leve sorriso, a caravana Alfa seguiu por entre belos vinhedos em direcção à Régua, mais propriamente a S. Leonardo de Galafura, lugar tão querido do nosso grande escritor Miguel Torga. Aí esperava-nos uma deslumbrante e indescritível paisagem sobre o Douro e um acolhedor restaurante, onde a simpatia do seu pessoal, o cabrito e os vinhos Vaz de Carvalho foram a nota dominante durante toda a tarde. Enquanto cá fora, o tempo entristecia, lá dentro vivia-se um clima de alegria, com a distribuição dos vários troféus pelos sócios. O momento mais esperado foi a celebração dos 10 anos do clube, no qual o presidente José Cardoso fez as honras, partindo o alusivo bolo, acompanhado de um belíssimo espumante.

      Aproximava-se o final do dia, altura de regressar a casa, depois de momentos tão bem passados.

 

J. C. Lourenço

 


 

 Viagem pelo Passado

    21 de Março foi o dia escolhido para dar início às actividades do nosso clube, com o evento “Viagem pelo passado”, cujo objectivo principal era dar a conhecer a todos os que quiseram participar, duas excelentes mostras de automóveis e motos, localizados no concelho de Vila Nova de Famalicão.

    Da parte de manhã e sempre acompanhados por um sol amigo, visitamos o museu António Augusto, situado no coração da cidade de Famalicão, guiados pelo seu simpático proprietário Engº Campos Costa, que nos mostrou uma colecção ímpar de belos e raros modelos de automóveis e motos, repletos de simbologia.

    Após esta visita, dirigimo-nos, em caravana Alfista, à zona industrial de Ribeirão, onde deliciamos um suculento almoço no restaurante Pinto.

    Da parte da tarde e sempre orientados pelo amabilíssimo Engº Amadeu Hermínio Mello e Silva, visitamos o museu Ferroviário, situado na localidade de Lousado e os museus da Guerra Colonial e do Automóvel Antigo localizados em Ribeirão.

    Foi sem dúvida um dia motivante e enriquecedor, onde pudemos usufruir de um contacto privilegiado com as máquinas dos nossos sonhos.

 

                                                                                                                                J.C.Lourenço